sábado, 5 de janeiro de 2019

Segurança Alimentar em risco no Brasil

“Quando se propõe a revogação do Consea estão ferindo toda a lógica interna do Sisan [Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional]. O Consea tem a responsabilidade de fazer o diálogo entre sociedade civil e governo, mas, além disso, de ser um fator mobilizador e de articulação das políticas públicas. Políticas públicas isoladas não são suficientes para a garantia de uma alimentação saudável de uma população, de um país. Retirar do Sisan a sua estrutura de mobilização, de controle, de participação social é empobrecer a ação do Estado no sentido dele dar respostas que sejam mais efetivas e que tenham maior sentido para os grupos de maior vulnerabilidade na sociedade brasileira. É lamentável que isso esteja proposto, é lamentável que a gente tenha sinais de retrocessos tão profundos na garantia de alimentação saudável para todos os brasileiros e brasileiras” Elisabetta Recine, presidenta do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA).
Leia a matéria completa: https://bit.ly/2C5nuwC
FIANBRASIL.ORG.BR
  A Medida Provisória nº 870 , de 1º de janeiro de 2019, primeira publicação oficial do novo gove

NOTA DO CIMI - Medidas inconstitucionais do governo Bolsonaro afrontam direitos indígenas

"No entender do Conselho Indigenista Missionário - Cimi, o governo recém-empossado pretende gestar o país a partir de propósitos que visam desqualificar os direitos individuais e coletivos de comunidades e povos tradicionais, atacar lideranças que lutam por direitos, ameaçar e criminalizar defensores e defensoras do meio ambiente, indigenistas, entidades e organizações da sociedade civil, ou seja, todos aqueles que se colocarem contra o projeto de exploração indiscriminada das terras e dos recursos nelas existentes. Não é à toa que a mesma medida provisória determina que uma Secretaria de Governo, chefiada por um militar, faça o monitoramento de atividades e ações de organismos internacionais e organizações não governamentais no território nacional."
Leia a nota completa: https://bit.ly/2R5RfrH
CIMI.ORG.BR
Em nota, Cimi repudia medidas que pretendem gestar o país a partir de propósitos que visam desqualificar os direitos individuais e coletivos de comunida

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Povos da floresta em risco no Brasil

Presidente confirma promessa de campanha de não demarcar “nem mais um centímetro” para os povos originários; “a perspectiva é de mais mortes”, diz membro da Associação Juízes para a Democracia

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Agronegócio - Programa Le Monde Diplomatique Brasil #13



O programa debate soberania alimentar e a indústria do agronegócio no Brasil. Convidados:
Alceu Castilho - Jornalista, geógrafo, autor do livro Partido da Terra e coordenador "De olho nos ruralistas",Maureen Santos - Coordenadora de Programas e Projetos de Justiça Socioambiental da Fundação Heinrich Böll no Brasil e Professora de Relações internacionais da Puc Rio
Carlos Alberto Doria - Doutor em sociologia pela Unicamp e mobilizador do Banquetaço
Apresentação - Silvio Caccia Bava editor che do Le Monde Diplomatique Brasil.

domingo, 8 de abril de 2018

QUATRO HIPÓTESES SOBRE UMA DISPUTA NÃO ENCERRADA, por 'Outras Palavras'

ESPECIAL: QUATRO HIPÓTESES SOBRE UMA DISPUTA NÃO ENCERRADA
Preso político do regime pós-2016, Lula não poderá disputar as eleições. Seu encarceramento busca, sobretudo, consolidar a agenda de retrocessos. Mas a vitória dos conservadores não se consumou.
Textos e vídeos da Redação de Outras Palavras
Preso político, Lula não poderá disputar as eleições. Seu encarceramento busca consolidar a agenda de retrocessos. Mas triunfo conservador não se consumou
OUTRASPALAVRAS.NET

No rumo da destruição


Proposta tira poder da Anvisa e do Ibama. Fila de aprovação tem 300 substâncias potencialmente cancerígenas.
THEINTERCEPT.COM

Entidades questionam isenção de impostos para agrotóxicos no Brasil

Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)
Desde 2016, uma ação que tramita no Supremo Tribunal Federal - STF questiona a constitucionalidade do benefício fiscal para agrotóxicos. Para ajudar com mais elementos no debate, quatro entidades ingressaram com pedido para entrar no processo. Atualmente, venenos agrícolas tem redução de até 60% no ICMS. Estima-se que, por causa disso, cerca de *1,3 bilhões de reais* deixem entrar nos cofres públicos. >> Leia: goo.gl/zTk79Y

Soberania alimentar em risco no mundo

AGROTÓXICO E TRANSGÊNICOS | 75% dos alimentos do planeta vêm de apenas 12 espécies vegetais.
No dia 21 de março, a União Europeia avalizou a fusão de duas megaempresas de tecnologia agrícola: a norte-americana Monsanto e a alemã Bayer. O negócio já havia sido aprovado no Brasil pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Também já houve o aval chinês e da África do Sul. Basta a autorização dos Estados Unidos para consolidar a fusão no mercado agrícola mundial.
A unificação de tais empresas é a terceira na concentração produtiva. Com a união das estadunidenses Dow e DuPont e da suíça Syngenta com a chinesa ChemChina, o mercado agroquímico mundial será protagonizado por quatro grupos econômicos, somados à também estadunidense Basf.
O novo cenário é de que as quatro empresas transnacionais passem a dominar 65% das vendas de agrotóxicos e pesticidas e cerca de 60% das comercializações de sementes no mundo. Somente a Monsanto é a maior vendedora de sementes do globo e a Bayer ocupa a segunda posição na venda de agrotóxicos.
75% dos alimentos do planeta vêm de apenas 12 espécies vegetais
BRASILDEFATO.COM.BR